Querida Laura (Cabo Verde – Caribe)

Velejando no Atlântico


– Que ideia mais estúpida, comprar um barco e atravessar um oceano! – Essa foi a frase mais citada durante os 16 dias de travessia. Mas vamos voltar um pouco mais no tempo e começar no dia 1 de janeiro.

O plano original era iniciar viagem logo depois do ano novo. O barco já estava preparado, os suplimentos estocados, tanque de água e diesel cheios e tudo no devido lugar, quando recebemos uma ligação de um velejador em Mindelo dizendo que o melhor seria esperar as ondas vindas do norte passarem. Decidimos então não encarar e “tirar férias” por uns dias num apê alugado em Boa Vista – Cabo Verde.
Boa Vista é um dos melhores destinos em Cabo Verde. Praias com areia branquinha, beach bars, comida boa e muito seguro. Voltamos para o barco dia 13 de janeiro e já estava claro que as ondas diminuiram e, enfim, podíamos seguir viagem. Então, começamos todo o processo de novo: preparar o barco, comprar frutas e legumes, encher o tanque, arumar as cordas etc. Nosso amigo Cata, que também “tirou férias” em Londres, retornou dia 15. No dia seguinte às 10:30 UTC partimos com destino Martinique – Caribe.

Beach bar, Boa Vista

Já sabíamos que os 6 primeiros dias seriam os mais desconfortáveis com até 3 metros de ondas, nada grave e muito normal. Colocamos as velas em posição orelha de burro (vela principal bombordo, genoa estibordo) e não mudamos nada por dias (só aumentar ou diminiur a vela principal quando o vento estava mais forte ou não). Atravessar o Atlântico com um barco estável como o nosso não é um bicho de sete cabeças quando pensamos na parte técnica: velejar. Trocamos as velas mais ou menos 6 vezes em 16 dias.
Uma vez tivemos a estúpida ideia de testar a posição oficial de velas para esse tipo de travessia – sabe quando não tem nada pra fazer. Nosso professor, Martin, já havia nos avisado que era uma posição um pouco que desconfortável. A porra do barco balançou como um péndulo descordenado. O pior que mudamos durante o crepúsculo e quando chegou a noite não era seguro voltar para a posição anterior. Então, ficamos a noite toda rolando de um lado para o outro. – Que ideia mais estúpida, comprar um barco e atravessar um oceano!x2
Após 6 dias velejando, Cata e eu decidimos arriscar a assar muffins de chocolate. Farinha voando pelo barco, ovos rolando de um lado pra o outro, açúcar adoçando o chão e os muffins ficaram ótimos: que delícia! Valeu a pena. Depois dos muffins, ficamos mais confiantes em cozinhar e assar. Assamos alguns pães, Cata fez pizza e outra rodada de muffins.
Conviver com 2 pessoas 2 semanas em 12 metros é a parte mais díficil de atravessar o Atlântico. É o maior desafio psicológico que já fiz na minha vida. É como uma gaiola que rola de um lado pra o outro. – Que ideia mais estúpida, comprar um barco e atravessar um oceano!x3 Eu espero que essa experiência não se apague tão rápido da minha memória. Espero que se torne sabedoria para a minha vida futura.
A velejada foi fácil, mas não quer dizer que foi perfeita. Fizemos alguns erros. Usamos uma corda errada pra prender o boom (retranca) que depois de alguns dias não aguentou e arrebentou. O boom veio com toda a força sobre o vergueiro quebrando um pedaço da madeira. – Que ideia mais estúpida, comprar um barco e atravessar um oceano!x4

No 31 de janeiro acordei com um humor de chegada! Era o último dia, mais cedo ou mais tarde Martinique iria aparecer pra gente. O tempo estava perfeito e o mar de dar inveja. Só para coroar o dia mais perfeito que vivi na vida, apareceram os golfinhos que brincaram com a Leonora durante horas. Christoph e eu fomos desmontar o pau de spinnaker quando vimos pela primeira vez nosso destino. Lá no horizonte estava Martinique esperando por nós! – Que ideia mais genial de comprar um barco.

 

8 thoughts on “Querida Laura (Cabo Verde – Caribe)

  • Tia Bia

    Feliz por vcs chegarem bem aí!! !! Divirta-Se e façam tudo que sonham, a vida é curta e os bons momentos ficam em nossos corações, Amamos vcs!!!

  • Cibele

    Que ideia mais corajosa de todas, comprar um barco para atravessar um oceano e que ideia mais genial, compartilhar essa experiencia com a gente!
    To adorando :)!

  • Fernanda Ribeiro

    Tô adorando aqui também! A ideia estúpida foi esquecida,assim que viu a terra firme! ! Que um dia eu tenha uma ideia estúpida dessa! Aproveitem…

  • Aline

    É uma delícia acompanhar vcs, feliz por chegarem Vem!
    Estou esperesperando minha carta

    • laura

      amigos queridos! que bom q vcs chegaram bem! e quantas histórias p contar! e por sinal, muito bem escritas. deveriam pensar em publicar essas aventuras a la amir klink! ; )
      saudade e orgulho de vcs! nao vejo a hora de encontra-los! beijos mil e se joguem!!! o rio espera vocês tb! hehehe

  • Maria Cristina

    Meu Deus que aventura. Graças a Deus terminou tudo bem. Agora aproveitem bastante Caribe deve ser estonteante saudades amamos vocês bjos

  • Karolyne Ferraz

    Que ideal genial comprar um barco, avisar pra família que vão navegar por ai e compartilhar fotos e experiências de tirar o fôlego. Nós é que temos uma ideia estupida de ficar 8/9hrs num escritório vivenciando as mesmas experiências.

    Em breve quero ter ideias geniais assim. Tem uma vaguinha ai pra mim???

  • Leticia Chris

    Como vai a viagem?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *